Sistema de drenagem ACO para circuito da Fórmula Indy de São Paulo

Conheça o estudo de caso São Paulo Indy 300 da ACO, especialista em sistema de drenagem.

Sobre o local

O circuito de rua misto montado em São Paulo para receber a prova de automobilismo Indy 300 contempla as avenidas Marginal Tietê e Olavo Fontoura, além do Parque do Anhembi. O complexo tem, aproximadamente, 4,7 mil metros e é marcado por pavimentos rígidos e flexíveis que variam entre as ruas próximas, ‘marginais’ e estacionamentos.

O desafio

“O grande desafio era melhorar todo o sistema de drenagem ao redor do Parque do Anhembi e do Sambódromo. Para isso, era fundamental a utilização de um sistema de drenagem que apresentasse um escoamento rápido e que conseguisse trabalhar com declividade baixa, inclusive nula. Além disso, deveria ter resistência à carga pós-obra de até 90 toneladas”, conta Alisson Lourenço da Silva, diretor técnico de projetos especiais responsável pela obra.

Outra necessidade era o prazo exigido pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para executar a obra em menos de 60 dias. O processo moldado in-loco, por exemplo, precisaria de, no mínimo, o dobro do previsto para ficar pronto, resultando também em maiores custos.

A preocupação era grande, já que nos últimos anos a prova foi interrompida várias vezes em razão do excesso de chuva no local que não foi escoado corretamente pelo sistema utilizado no período, de baixa capacidade.
Além disso, no sistema convencional as grelhas são removíveis e poderiam soltar quando os carros passassem com velocidades superiores a 300 km/h.

Solução

Está no próprio nome: ACO Soluções em drenagem. A referência no mercado foi um dos fatores que possibilitou a empresa fornecer sua especialidade na obra. “E o outro motivo foi a qualidade, já que a ACO conta com os melhores produtos no segmento. Inclusive aprovados internacionalmente e utilizados na maioria dos circuitos e aeroportos da Europa e América do norte. E, o melhor: atendeu todas as nossas necessidades técnicas com custo viável frente as vantagens”, destaca Alisson.

Para isso, foram implantados mais de 800 m de Canais Monolíticos de Concreto Polímero com a finalidade de esgotar as águas pluviais com mais rapidez e baixa declividade.

A facilidade na execução dos produtos reduziu a mão de obra nas frentes de serviço, tanto que não houve sequer a necessidade de utilizar formas e armações para instalação.

“Na verdade o processo foi o seguinte: primeiro e Prefeitura e os organizadores da prova definiram os locais de instalação dos nossos Canais. Após isso, realizamos o corte do pavimento existente. Utilizamos uma base de concreto 25 MPa. sem a necessidade de armação, que foi preenchido nas laterais, e regularizamos o pavimento até a borda dos Canais. Depois, foi só fazer a interligação com as galerias de águas pluviais existentes e as bocas de lobo”, explica Emerson Roberto de Oliveira, Engenheiro Civil da ACO Drenagem.

Além da entrega dentro do prazo e da instalação eficiente, a ACO disponibilizou seu corpo técnico full time na obra para acompanhamento dos serviços.

“Após a conclusão do mundial, o circuito brasileiro foi considerado por pilotos e organizadores o circuito mais elaborado, com o melhor piso e sistema de drenagem da temporada”, destaca Alisson.

Já Emerson vai mais além, ao afirmar que “a obra deixa um legado para cidade e que é possível resolver os problemas das constantes inundações em períodos de chuva que tanto assolam a cidade de São Paulo”.

Veja mais

Fonte: aecweb.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *