Reforço de solos com geossintéticos: como funciona?

Como funciona o reforço de solos com geossintéticos? Para quem trabalha com esse tipo de material, a dúvida pode ter aparecido em algum momento. Vamos tratar de todos os seus aspectos no conteúdo abaixo, confira!

Ao introduzir geossintéticos em um maciço terroso, basicamente se está visando dar mais resistência àquele solo. Se por um lado isso não implica necessariamente em um melhoramento da composição natural do solo, por outro traz um ganho considerável de performance em relação ao seu “comportamento mecânico global” enquanto estrutura.

Isso acontece, resumidamente, porque existe uma transferência de esforços: se o peso antes sobrecarregava o solo, agora sobrecarregará os elementos resistentes que foram agregados.

O conceito de solo reforçado

O conceito de solo reforçado é amplamente divulgado na Engenharia Civil. Dos anos 60 para cá, depois das ideias de Henri Vidal em torno da técnica da terra armada, reforçar solos, seja com geossintéticos ou outros materiais, tem sido uma prática cada vez mais comum.

Vantagens dos geossintéticos

Apesar da vasta gama de materiais disponíveis para esse tipo de procedimento, os geossintéticos oferecem diversas razões pelas quais devem ser utilizados.

A primeira vantagem dos geossintéticos diz respeito à sua eficácia. Ao aplicar esse tipo de material em obras de aterro, por exemplo, eles naturalmente aumentarão a estabilidade global e melhorarão o desempenho da estrutura em termos de deslocamentos.

O segundo ponto positivo, geralmente bastante considerado pelos engenheiros e empresas, é o custo-benefício. Os geossintéticos, além da qualidade, apresentam custo reduzido em relação às soluções consideradas mais “tradicionais” pelo mercado.

A terceira vantagem relevante em se fazer reforço de solos com geossintéticos é o fato de o material ser um dos mais seguros para esse tipo de procedimento.

Classificações de solos reforçados

Indiferentemente de quais materiais estão sendo utilizados para reforçar um solo, o resultado final pode ser classificado de duas formas:

Solos macro-reforçados

Quando os elementos de reforço utilizados são de grande porte comparados aos grãos de solo (varões, grelhas, membranas, barras etc).

Qualquer inclusão influencia no volume de solo significativo (por isso é recomendado limitar o número de elementos de reforço).

Solos micro-reforçados

Quando os elementos de reforço são de pequeno porte (filamentos, fibras, microgrelhas etc).

Qualquer inclusão também influencia no volume de solo significativo (recomendado um número elevado de elementos de reforço, como no sistema “Texsol”, por exemplo).

Solos reforçados com geossintéticos são classificados de acordo com a localização do reforço, tipo de solicitação, tipo de estrutura e tipo de aplicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *