Construções de casas sustentáveis são solução e tendência sem volta

Na quarta edição do Seminário Sebrae de Sustentabilidade aconteceu um painel sobre Edificações Certificadas e Agregação de Valor, onde foi exposto motivos para a construção civil se tornar mais sustentável e eficiente.

O processo de construção dos prédios sustentáveis produz menos resíduos e, quando prontos, são mais econômicos em termos de eficiência energética e hídrica. Esta é uma tendência sem volta no mundo. A construção civil tem que se tornar mais sustentável.

O Brasil já é o quarto no ranking mundial de construções sustentáveis, ficando atrás dos Estados Unidos (EUA), China e Emirados Árabes. Veja o infográfico:

O Brasil já é o quarto no ranking mundial de construções sustentáveis

A Raquel Blumenchaii, professora da Universidade de Brasília (UnB), falou um pouco no painel sobre a criação das principais certificações internacionais para construções sustentáveis:

“As edificações sustentáveis surgiram no final dos anos 80, início da década de 90, para dar oportunidade para assegurar o desempenho ambiental da indústria da construção civil.

O processo abrangia desde o projeto, construção, manutenção e demolição. A cadeia produtiva deste segmento tinha de encontrar soluções para deixar de ser grande causadora de impacto ambiental. Quem constrói, vende ou compra imóveis está contribuindo para a sustentabilidade.

A certificação é instrumento importante como diferencial ambiental. As pequenas empresas subcontratadas pelas grandes empreiteiras também devem acompanhar a tendência de busca incessante pela sustentabilidade. Para que o processo produtivo seja mais racional e gere menos desperdício e resíduos, é preciso planejar e mudar paradigmas.

Sou responsável pelos resíduos que produzo ao longo do processo produtivo que faço. Cada um pode ter coragem de assumir que é possível optar por um processo produtivo inovador, que significa ter responsabilidade socioambiental e sustentabilidade econômica, acrescentou.

Na Inglaterra, uma lei definiu que até 2025 todas as residências terão emissão zero de carbono. No México, há um Fundo Verde para financiar construções sustentáveis de micro e pequenas empresas. Os bancos brasileiros precisam ampliar as linhas de crédito para as construções sustentáveis dos pequenos negócios, também.”

Fonte: Sebrae.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *