Áreas de preservação ambiental são usados como lixões

Em São Luiz, a lei municipal que disciplina o descarte de resíduos da construção civil não impede que terrenos abertos se transformem em depósito de lixo. Além dos restos de material de construção, lixo doméstico é despejado com frequência em vários bairros da cidade.

Sobre a lei

A lei criada em 2006 tinha o objetivo de evitar que o lixo da construção civil fosse jogado em qualquer lugar. Foi criado um plano de gerenciamento dos resíduos, com pontos de coleta de grandes e pequenos volumes de lixo. No entanto, depois de nove anos o que se vê é exatamente o contrário.

Depoimentos

Uma área de proteção permanente está tomada pela sujeira, entre os bairros do Altos do Calhau e Planalto Vinhais.

De acordo com a professora Arenice Freitas, “é uma área com bastante árvores e os próprios moradores contribuem essa depredação, pois jogam lixo e entulhos”.

Até a estação ecológica do rangedor, no Altos do Calhau, tem sido alvo desse tipo de crime ambiental. Restos de material construção estão espalhados na mata. A cerca ao redor da reserva foi arrebentada em vários trechos para facilitar o despejo de lixo. Uma cena que se repete em várias áreas de proteção ambiental na cidade e que tem provocado a indignação dos moradores.

Solução

A Secretaria de Obras e Serviços Públicos de São Luís disse que vai enviar um fiscal para averiguar a situação no bairro Altos do Calhau. Disse também que vai providenciar, mais uma vez, a limpeza dos terrenos baldios na área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *