Adensamento de solo mole com geodreno vertical

O crescimento acelerado das cidades, a escassez de áreas  propícias à construção civil e ao mesmo tempo a necessidade de proteger o meio ambiente exige cada vez maior inovação dentro da Engenharia Civil.

Constantemente  deparamos com áreas sobre solos de baixa capacidade de suporte como únicas áreas disponíveis para novas construções  e para efetivação da obra torna-se necessário o tratamento  deste solo por sistemas de adensamento através do Geodreno Vertical.

O adensamento do solo é feito através da remoção da água existente no mesmo. Tradicionalmente, esta remoção era feita com a aplicação de uma sobrecarga de aterro sobre toda a área a ser construída. Como nesses  casos além de baixa capacidade de suporte, o solo apresenta baixa permeabilidade, causando lentidão no processo. O Geodreno Vertical trabalha como acelerador deste sistema, além de evitar recalques diferenciais no processo.

Na execução do sistema de adensamento deverá ser executado um colchão drenante sobre a extremidade superior dos Geodrenos em toda a extensão da obra para condução dos efluentes da drenagem.

As fitas do Geodreno são cavadas no solo (processo mecânico realizado por equipamento especial que introduz uma haste vazada sobre o terreno – Figura 1) com espaçamento entre 1,20m e 1,50m, podendo varias conforme dimensionamento de projeto com distribuição de forma triangular ou quadrada.

Figura 1
Figura 1

Após a cavação dos Geodrenos, o aterro é compactado com areia com a finalidade de atuar como colchão drenante.

Em alguns casos, torna-se necessário a inserção de elementos de reforço no sistema. Nesse caso, recomenda-se a aplicação de uma Geogrelha para atuar como redutor de deslocamentos laterais que possam ocorrer durante o processo e auxiliar na estabilidade do aterro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *