A história dos Nãotecidos

Origem da produção

Os Nãotecidos surgiram sob pressões e circunstâncias externas, tais como:

  • a necessidade de simplificar o processo têxtil;
  • a necessidade de desenvolver novos tipos de produtos têxteis;
  • a necessidade crescente da reciclagem de resíduos e fibras;
  • aspectos econômicos;
  • a possibilidade de aplicação e desenvolvimento de outras áreas industriais.

Estas circunstâncias persistem. Porém, é difícil estabelecer uma data para a real invenção ou aparecimento dos nãotecidos.

Quando citamos a indústria papeleira, o primeiro produto a apresentar uma textura parecida com o Nãotecidos surgiu no Egito, no ano de 2400 a.C. No século XV, inicia-se o desenvolvimento da indústria papeleira e, em 1799, o francês Louis Robert inventou o primeiro equipamento para fabricação de papel descontínuo.

Em 1860, nos EUA, produziu-se a primeira roupa de papel. Henry e Sealy Fourdrinier desenvolveram a máquina de fabricação de papel, que passou então a ser de produção contínua. O equipamento é conhecido atualmente como Fourdrinier.

Década de 30

Em 1930 iniciaram-se nos EUA as primeiras experiências para fabricação do Nãotecido de celulose consolidado com látex. Por volta de 1957, observou-se uma estrutura semelhante ao Nãotecido, fabricada em equipamentos da indústria de papel, usando-se polpa de celulose, bambu, asbestos, algodão, raiom viscose, poliamida, vidro, poliéster e outras fibras químicas.

Do lado têxtil, a invenção para obtenção do Nãotecido pode ser conferida à Carta Britânica nº 114, concedida em 1853 à Bellford, que revelou o uso de cardas, esteiras de transporte, impregnação, secagem para fabricação de mantas ou almofadas de algodão para indústrias de estofados, colchões de mola etc.

Por obtenção de multicamadas, estes produtos podem ser fabricados em qualquer espessura.

O processo de consolidação por agulhagem data do final do século XVIII, quando a primeira agulhadeira foi produzida por William Bywater, na cidade de Leeds, Inglaterra, tornando-se conhecida somente a partir de 1920.

Década de 50

Na década de 50, começaram a ser instaladas as primeiras e grandes fábricas de nonwoven da América do Norte, México e Europa.

A técnica de costura desenvolvida no início de 1945 ficou mais conhecida a partir de 1959, quando surgiu o equipamento fabricado na Alemanha Oriental, denominado Maliwatt.

Década de 60

A década de 60 marca o lançamento do Nãotecido no mercado como matéria-prima industrial e como produto de consumo.

Em 1960, apareceram as primeiras patentes para a fabricação do Nãotecido de filamento contínuo através da fiação por fusão.

No início de 1960, surgiu o Nãotecido através da tecnologia de fabricação do papel. Como este equipamento não era apropriado desenvolveu-se um especialmente para fabricação de Nãotecido por via úmida.

Década de 70

A década de 70 encontra a Indústria de Nãotecido em plena ascensão, com grandes desenvolvimentos e novas tecnologias de processos e matérias-primas.

Século XXI

O geotêxtil se tornou um produto de ampla comercialização no mercado de geossintéticos, com aplicações em obras de engenharia civil e geotécnica.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *